Cursos e Projetos

Glossário dos Termos Técnicos da Energia Solar Fotovoltaica

Antes de mais nada, um bom profissional da área solar, deve se atentar ao uso correto dos termos técnicos da energia solar fotovoltaica. Sobretudo, ao usar os termos corretos, mostrará aos seus clientes que possui domínio e conhecimento sobre a tecnologia.

Para ajudá-lo na consulta dos termos técnicos, preparamos esse glossário com os termos mais usados no setor fotovoltaico em ordem alfabética.

Confira e salve o link para consultar sempre que precisar.
Você também poderá acessá-lo facilmente em nosso site: www.ocaenergia.com

Esquecemos de algum termo? Envie aqui nos comentários que ficaremos felizes em adicionar e tornar esse trabalho ainda mais completo!

Termos Técnicos da Energia Solar Fotovoltaica:

A

  • ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica): fundada em 2013, é uma entidade nacional sem fins lucrativos, que coordena, representa e defende os interesses de seus associados quanto ao desenvolvimento do mercado e do setor, promovendo e divulgando a energia solar fotovoltaica no País.

  • ABRACEEL (Associação Brasileira dos Agentes Comercializadores de Energia Elétrica): promove a união dos agentes comercializadores autorizados pela Aneel e representá-los junto aos poderes públicos e organizações nacionais e internacionais.

  • ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída): reúne provedores de soluções, EPC’s, integradores, distribuidores, fabricantes, empresas de diferentes tamanhos e segmentos, além de profissionais e acadêmicos do setor, que têm em comum a atuação direta ou indireta na geração distribuída oriunda de fontes renováveis.

  • ACR (ambiente de contratação regulada): segmento do mercado no qual se realizam as operações de compra e venda de energia elétrica entre agentes vendedores e agentes de distribuição, precedidas de licitação, ressalvados os casos previstos em lei, conforme regras e procedimentos de comercialização específicos.

  • Agência reguladora: pessoa jurídica de direito público, normalmente uma autarquia ou outro ente de administração indireta, cuja finalidade é fiscalizar e/ou regular a atividade de determinado setor da economia do país. Um exemplo de agência reguladora é a ANEEL que regula o setor de energia elétrica.

  • ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica): autarquia em regime especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia, foi criada para regular o setor elétrico brasileiro.

  • ART (Anotação de Responsabilidade Técnica): instrumento indispensável que integra o Sistema Confea/Crea e usado para identificar a responsabilidade técnica pelas obras ou serviços prestados por profissionais ou empresas.

  • Ampere (A): unidade da corrente elétrica ou o fluxo de elétrons.

  • Arranjo fotovoltaico: é um conjunto de módulos solares, interligados em série ou em paralelo e que estão dispostos numa mesma estrutura; funcionam como uma única unidade de geração de energia solar.

  • Autoconsumo: classificado como o consumo instantâneo de energia elétrica a partir de seu gerador solar fotovoltaico.

  • Autoconsumo remoto: compensação de créditos de energia gerada por pessoa física ou jurídica em unidade consumidora, diferente do local de instalação do gerador solar fotovoltaico, ambos situados na mesma área de concessão (mesma distribuidora).

B

  • Baixa tensão: qualquer tensão na faixa entre 50 e 1000 V em corrente alternada ou entre 120 e 1500 V em corrente contínua.

  • Banco de baterias: armazenam a energia reserva que será usada durante a falha da rede elétrica da concessionária. A energia reserva armazenada é proporcional à capacidade das baterias.

  • B.O.S (Balance of System): são componentes de um sistema solar fotovoltaico que exclui o módulos solar, exemplo: cabos, fios, proteções, antenas, chicotes elétricos e estruturas.

C

  • CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica): viabiliza a comercialização de energia elétrica no Brasil e apoia a evolução do mercado sob os pilares de isonomia, segurança e inovação.

  • Célula solar(ou fotovoltaica): é a unidade básica de um sistema fotovoltaico, responsável pela conversão da radiação solar em eletricidade.

  • Consumidor cativo: consumidor ao qual só é permitido comprar energia da distribuidora detentora da concessão ou permissão na área onde se localizam as instalações do acessante, e, por isso, não participa do mercado livre e é atendido sob condições reguladas.

  • Corrente alternada (CA): tipo de corrente elétrica na qual o sentido do fluxo é revertido em intervalos regulares de tempo. No Brasil a frequência de reversão do fluxo é 60 Hertz, ou seja, 60 ciclos por segundo.

  • Corrente contínua (CC): tipo de corrente na qual os elétrons fluem no condutor no mesmo sentido. Para ser usada nas utilidades domésticas normalmente deve ser convertida para corrente alternada por um inversor.

  • Corrente elétrica: fluxo de energia elétrica em um condutor, medida em amperes.

  • Concessionárias de energia: empresas autorizadas pela ANEEL responsáveis pela distribuição e fornecimento da energia elétrica ao consumidor final. Como exemplo: ENEL, Cemig, CPFL, entre outras.

D

  • Diagrama multifilar: é uma representação mais minuciosa de uma instalação elétrica, assim como no diagrama funcional, que também mostra todos os condutores e componentes. Além disso, tenta-se representar os componentes da instalação, bem como os condutores em sua posição correta.

  • Diagrama unifilar: o diagrama unifilar é o mais usado pelos eletricistas instaladores nas obras. O diagrama unifilar é uma representação bidimensional. Desenha-se sobre a planta baixa (planta arquitetônica), apresenta todos os dispositivos e trajetos dos condutores rigidamente em suas posições físicas.

  • Demanda contratada: demanda de potência ativa que a distribuidora de energia deve disponibilizar continuamente no ponto de entrega conforme valor e período de vigência do contrato. É expressa em kW e deve ser paga independente da sua utilização.

  • DPS: dispositivo de proteção contra surtos que atua principalmente em descargas atmosféricas e protege a rede contra picos de interferência.

E

  • Efeito fotoelétrico: o efeito fotoelétrico foi observado pela primeira vez por Heinrich Hertz, físico alemão, em 1887. Este, é a emissão de um grande número de elétrons de um material, geralmente metálico, quando exposto a radiação da luz.

  • Efeito fotovoltaico: o efeito fotovoltaico foi descoberto por Becquerel em 1939. Este consiste no surgimento de uma tensão elétrica em um material semicondutor, quando este é exposto à luz visível.

  • Elétron: partícula de um átomo com sinal de carga negativa e massa de 1,6022×10-19, os elétrons circulam a carga positiva do átomo e determinam a propriedade química do átomo. A movimentação dos elétrons em um condutor elétrico constitui a corrente elétrica.

  • Energia Alternativa: é qualquer fonte de energia que é uma alternativa ao uso do combustível fóssil. Gera menor impacto ambiental, principalmente em relação às emissões de dióxido de carbono (maior responsável pelo aquecimento global).

  • Energia limpa: é aquela que não libera durante seu processo de produção ou consumo, nenhum tipo de gás poluente ou resíduos que motivem o efeito estufa ou aquecimento global.

  • Energia renovável: é proveniente de recursos naturais e ilimitados. Por exemplo, o sol, vento, chuva, marés, entre outras.

  • Energia solar fotovoltaica: o termo fotovoltaico significa a transformação da radiação solar diretamente em corrente elétrica, utilizando as células fotovoltaicas, ou células solares.

  • EPC (equipamentos de proteção coletiva): são dispositivos usados à proteção de trabalhadores durante a realização de suas atividades.

  • Estrutura metálica: peça metálica normalmente inoxidável onde são presos os módulos fotovoltaicos. Assim, servem para fixação do módulos nos telhados ou no solo.

F

  • Fator de capacidade:  relação entre a carga própria de energia e a capacidade instalada de uma instalação ou conjunto de instalações. Do mesmo modo, também pode ser a razão entre a produção média e a capacidade instalada da usina em um dado período de tempo.

  • Fator de Potência: é a relação entre a potência ativa e a potência total do circuito e mostra a eficiência com que a energia está sendo utilizada.

  • Filmes finos: são considerados a segunda geração de células fotovoltaicas. Dessa forma, sua fabricação é feita através da deposição de camadas de material fotovoltaico sobre um substrato tal como vidro, plástico ou metal.

  • Fotón: são pequenos “pacotes” que transportam energia presente na radiação eletromagnética.

G

  • Gigawatt (GW): unidade que equivale a 1 bilhão de watts

  • Geração distribuída (GD): é uma expressão usada para designar a geração elétrica realizada junto ou próxima do(s) consumidor(es)independente da potência, tecnologia e fonte de energia. Desde 2012 com a entrada em vigor da REN 482 da ANEEL consumidores do mercado cativo têm a opção de compensar o seu consumo de energia com a energia gerada a partir de fontes renováveis ou cogeração qualificada e inclusive fornecer o excedente para a rede de distribuição local.

  • Geração Isolada: também conhecida como off grid, são instalações que não tem contato com a rede de distribuição de eletricidade das concessionárias, por isso o termo, isoladas.

  • Geração centralizada: são usinas solares de grande capacidade instalada que comercializam a energia gerada nos ambiente contratação livre e regulado.

  • Geração compartilhada: um dos modelos de negócio da GD, a geração de energia se da a partir de um sistema fotovoltaico, que é compartilhada entre diversas unidades. Devem estar localizadas na mesma área de concessão e pertencerem exclusivamente a um conjunto de pessoas físicas ou jurídicas distintas.

  • GRID-TIE: termo oriundo da língua inglesa. Significa conectado à rede elétrica da distribuidora. Sistema conectado a rede da concessionaria.

H

  • HSP (Horas de Sol Pico): é o período normalmente de 10 as 15 horas em que a irradiação solar tem intensidade maior. Sendo assim, este valor é muito importante para o cálculo do sistema fotovoltaico pois é nessas horas que um módulo estará gerando o seu máximo durante o dia.

I

  • Inversor: dispositivo que transforma a corrente CC dos módulos solares em corrente CA que é a utilizada nas redes de transmissão.

  • Inversor string: dispositivo que recebe a energia de vários módulos fotovoltaicos conectados em série ou em paralelo.

  • Íon: carga elétrica de um átomo ou grupo de átomos que ganha ou perde elétrons.

  • Irradiação: energia solar que chega na terra, normalmente medida em quilowatts.

J

  • Joule: medida de energia ou trabalho, 1 joule pro segundo equivale a 1 watt.

K

  • Kilowatt (Kw): unidade que equivale a 1000 watts

  • Kilowatt-hora (Kwh): energia em watts que age no período de uma hora.

  • Kilowatt-pico (Kwp): watts-pico é a potência de um sistema ou módulo fotovoltaico sob condições padrões de teste (STC).

L

  • LID (Light-Induced Defects): é um defeito que pode prejudicar a fotocondutividade do módulo solar solar.

M

  • Material elétrico: materiais utilizados na construção de maquinas, equipamentos e dispositivos elétricos. Por exemplo: fios e cabos, disjuntor, interruptor, tomada, eletrodutos, etc.

  • Medidor bidirecional:  a diferença entre um medidor bidirecional e um tradicional medidor é que o medidor bidirecional tem três leituras para exportação, importação e rede, considerando que o medidor tradicional tem somente uma importação da leitura.

  • Mercado Cativo: é formado pelos consumidores que têm acesso à energia com tarifas estabelecidas pelo governo e pagam mensalmente pelo serviço de distribuição e de geração de energia. Esses consumidores também são chamados de consumidores cativos.

  • Mercado livre: é possível escolher de qual empresa comprar e também definir o preço, prazo, volume e forma de pagamento diretamente com ela.

  • Megawatt-hora (MWh): 1 milhão de watts-hora.

  • Megawatt-pico (MWp): 1 milhão de watts-pico.

  • Memorial descritivo: é o documento que detalha todo o projeto a ser realizado.

  • Microgeração: de acordo com a REN 687, sistema gerador de energia elétrica por meio de fontes renováveis, com potência instalada inferior ou igual a 75 kW.

  • Microinversor: dispositivo ligado a no máximo dois módulos fotovoltaicos e transforma a corrente CC do painel em corrente CA.

  • Minigeração: de acordo com a REN 687, sistema gerador de energia elétrica, com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 3 MW (para fonte hídrica). Menor ou igual a 5 MW para as demais fontes renováveis (solar, eólica, biomassa e cogeração qualificada).

  • Módulo Solar: é termo técnico para placa solar ou painel solar. O módulo fotovoltaico é composto por 36 a 72 células solares produzidas normalmente por silício e é utilizado para a captação da luz do sol, com a função de converter a luz solar em energia elétrica fotovoltaica.

  • MPPT (Maximum Power Point Tracker ): dispositivo que procura o ponto onde o sistema alcança o maior fornecimento de energia em todas as condições .

N

  • NOCT (temperatura normal da célula operacional): usa-se o NOCT para estimar a temperatura nominal de funcionamento de um módulo no seu ambiente de trabalho.

O

  • Off Grid: também conhecido como sistema isolado, funcionamento independente da rede elétrica, geralmente utiliza bateria para armazenamento da energia gerada.

  • Ohm: unidade de medida de resistência elétrica.

  • On Grid: também conhecido como grid-tie ou conectado à rede, precisa da existência da rede elétrica local para funcionamento, tendo a produção de energia entregue diretamente a ela.

  • Otimizador: dispositivo ligado a cada módulo fotovoltaico. Sendo assim, sua principal função é reduzir perdas em um sistema, elevando a eficiência do sistema que otimiza a energia por ele fornecido.

plataforma Oca EAD

 

P

  • Padrão de entrada: o padrão de entrada é composto pela caixa de medição de energia, sistema de aterramento, condutores e outros equipamentos elétricos responsáveis por possibilitar a conexão da unidade à rede da concessionária.

  • Parque solar: sistema de grade escala projetado para fornecer energia a rede elétrica.

  • Película fina: módulo fotovoltaico construído com camadas sequenciais de materiais semicondutores de película fina. Os exemplos de módulos solares finos da película são silicone amorfo, cádmio Telluride (CdTe), CIGS, etc.

  • Potência instalada: Soma da potência máxima dos módulos em um sistema. É comumente expresso em kWp.

  • Policristalino: também chamado polisilício, é um material que consiste em pequenos cristais de silício. Diferencia-se do silício monocristalino, utilizado em electrónica e células solares, e do silício amorfo, que se utiliza para os dispositivos de filme fino e outras células solares.

  • Potência Ativa: é a total potência do circuito, não é possível ter acesso a essa potência pois existem perdas internas do circuito.

  • Potência Reativa: é a potência que o circuito consome antes de fornecer energia.

  • PR (Performance Ratio): é o percentual que descreve a relação entre a energia fornecida e a estimada no sistema fotovoltaico.

Q

  • QDG (Quadro de Distribuição Geral): representa o quadro de disjuntores principal da residência. O sistema fotovoltaico é comumente conectado diretamente no quadro geral da residência, salvo haja outro quadro mais próximo do ponto de fixação do inversor.

  • Queda de tensão: queda muito brusca no valor da tensão em um curto período de tempo.

R

  • Radiação solar: É a energia radiante emitida pelo Sol, sob a forma de radiação eletromagnética.

  • Rede de transmissão: a eletricidade produzida pelos módulos fotovoltaicos de uma usina de energia solar é transmitida pelas redes de transmissão de energia e distribuída pelas distribuidoras de energia para o uso em sua casa ou empresa.

  • Resolução normativa da ANEEL RN482/12: dispõe sobre as normas de conexão à rede de geradores de energia renovável (Energia Solar Fotovoltaica, Energia Eólica, Energia de Biomassa e outros). Assim, esta ela basicamente cria as regras para o usuário conectar seu gerador de energia na rede da distribuidora e se beneficiar do sistema de compensação de energia.

  • Resolução normativa da ANEEL RN687: a resolução Normativa nº 687 alterou a RN-482, trazendo algumas inovações como: o aumento do prazo para compensação dos créditos energéticos; a possibilidade de geração em condomínios; entre outros.

S

  • Semicondutores: qualquer material que tenha uma capacidade limitada para realizar uma corrente elétrica.

  • Silício policristalino: um material usado para fazer células fotovoltaicas, que consistem de muitos cristais ao contrário do silício de cristal único.

  • Sistema de compensação de energia elétrica da ANEEL: regulamento em 2012 pela ANEEL, permite que toda a energia que você gere em excesso (residencial ou comercial) seja enviada à rede de energia da distribuidora mais próxima. Essa energia injetada na rede é contabilizada e torna-se “um crédito”. Não se pode reverter os créditos de energia em dinheiro. Contudo, você pode usa-los para abater o consumo da conta de energia nos meses seguintes. Pode-se usar os créditos até mesmo em outras unidades de mesma titularidade, desde que estejam na mesma área de concessão. Assim, o prazo para uso dos créditos energéticos. Foi de 36 para 60 meses.

  • Sistema híbrido: um sistema solar elétrico ou fotovoltaico que inclua outras fontes de geração de eletricidade, como geradores de vento ou diesel.

  • String: um número de módulos fotovoltaicos interligados eletricamente em série para produzir a tensão de operação exigida pela carga.

T

  • Transformador: equipamento que altera a faixa de tensão que recebe podendo aumentar ou diminuir este valor.

  • Tensão (V): é a diferença de potencial entre dois pontos, sua unidade de medida é o Volt.

U

  • Usina fotovoltaica: sistema fotovoltaico de grande porte destinado a geração de energia elétrica.

  • Ultravioleta: radiação eletromagnética que viaja na faixa de 4 a 400 nanômetros.

W

  • Watt pico: É a máxima potência gerada por um painel solar fotovoltaico em uma condição ideal.

  • Watt: É uma unidade de potência.

  • Watt-hora: É a unidade de medida de energia e hora, uma unidade de tempo. É a quantidade necessária para alimentar uma carga com potência de 1 Watt durante 1 hora.

Gostou do nosso Glossário dos Termos Técnicos da Energia Solar Fotovoltaica? Esses são só alguns de muitos que ainda podem surgir.
Contribua com esse artigo! Envie aqui nos comentários se observar a falta de algum termo que ficamos felizes em acrescentar.

Quer saber mais sobre o Setor Fotovoltaico? Siga a Oca nas redes sociais, sempre produzimos conteúdos educativos e informativos, para manter você sempre atualizado.

Para ir ainda mais além e se capacitar para trabalhar com Energia Solar Fotovoltaica, a Oca oferece cursos presenciais de Instalação e de Projetos de Sistemas Fotovoltaicos em parceria com o SENAI em 7 cidades e 8 estados do país. São mais de 6.000 alunos formados e atuando no setor.

Quer estudar de casa e fazer o seu horário? Oferecemos cursos com a mesma qualidade, suporte e aulas ao vivo em nossa plataforma EAD, conheça!

Para saber mais sobre os cursos você pode também enviar uma mensagem aqui: https://whatsapp.ocaenergia.com

Até a próxima!

 

Thuany Santos
Jornalista
(16) 3011 – 0547
thuany.nascimento@ocaenergia.com

Contém imagens: Pexels, Freepik, Pixabay, Unsplash, Google Imagens e Fotos Divulgação das fontes citadas.

Um pensamento em “Glossário dos Termos Técnicos da Energia Solar Fotovoltaica

  1. Parabéns, Equipe Oca, pela clareza e objetividade do Glossário. Os termos e palavras é que dão lógica, sentido e possibilitam o perfeito entendimento das coisas, por isto parabenizo à vocês pelo preparo e divulgação deste Glossário de Energia Solar Fotovoltaica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *